Quais resultados são seguros e satisfatórios em anos de dieta?

 

Especialista explica por que a perda de peso nos seis primeiros meses é mais fácil do que o período de manutenção do peso perdido após um ano.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a perda de peso segura e saudável deve ser realizada através de programa alimentar para redução de 500gr a 1kg de peso por semana, o que significa restringir de 500 a 1000 calorias diárias. A obesidade está associada, além das doenças metabólicas, à asma, alterações articulares, problemas psicológicos e sociais diversos, diminuição da autoconfiança e autoestima, depressão, ansiedade e insatisfação com o corpo.

O acompanhamento deve ser ao longo prazo para que novos hábitos sejam incorporados. Entretanto, quando reduzimos apenas 10% do peso corporal vários marcadores bioquímicos (ex: glicose, hemoglobina glicada, insulina, ácido úrico entre outros) e a pressão arterial já melhoram.

Revisões sistemáticas na literatura científica sobre dietas de emagrecimento têm demonstrado eficácia na perda de peso em qualquer tipo de dieta (contagem de calorias, restrição de determinado grupo alimentar, dieta de proteína...) nos seis primeiros meses, mas com grande dificuldade para manutenção do peso perdido após um ano.

Um caso de sucesso é a história da Paula. Em Maio de 2013, aos 22 anos, ela iniciou um acompanhamento nutricional para redução de peso. Seu peso inicial era de 111kg e IMC 37kg/m2 (obesidade grau 2). Ela praticava handball de uma a duas vezes por semana e corrida em média 5km de duas a três vezes, era saudável, com exames laboratoriais dentro dos valores de referência, mas sofria com “efeito sanfona” e com a dificuldade para controle de peso desde a infância. O objetivo do tratamento era chegar aos 75kg.

O acompanhamento foi realizado a cada duas semanas para monitorar o peso e reorganizar o programa alimentar. Desta forma, Paula não perdia o foco, revíamos as metas e fazíamos modificações para viagens, datas festivas e retomadas em possíveis “altos e baixos” normais em qualquer tratamento a longo prazo para redução de peso. Além da preocupação com o comportamento alimentar, foi fundamental a variação e evolução da prática esportiva para melhora da composição corporal, reduzindo o percentual de gordura e promovendo aumento de massa muscular.

Quando elaboramos o programa alimentar e fazemos o cálculo da dieta levamos em consideração o peso inicial e, conforme o peso diminuirá, o valor calórico desta dieta também irá reduzindo. Um indivíduo que inicia o tratamento com 100kg terá uma dieta com calorias maiores do que quando ele alcançar 70 kg. A primeira dieta é a de maior número de calorias. Na prática, não tem como reduzirmos sempre o que estamos ingerindo, existe um limite de restrição que deve ser feito. Por isso é fundamental aliar exercício físico ao programa alimentar, desta forma não será necessário fazer grande restrição calórica e também modificar a composição corporal.

Lembrando que, quanto maior a massa muscular, maior é a nossa aceleração metabólica, mais calorias gastamos parados. Atualmente, um ano e cinco meses depois, ela alcançou 82 kg, IMC 27kg/m2 (sobrepeso) percentual de gordura 26,9%, e tem ainda como objetivo reduzir o peso para 75kg, percentual de gordura abaixo de 25% e diminuir o tempo em corridas de 10km. Paula faz musculação compersonal trainer três vezes por semana eatividades aeróbicas variadas (corrida e spinning) de quatro a cinco vezes por semana.

Paula é uma grande história de sucesso: determinação, foco e persistência. Disciplina, constância e negociação são as palavras chave na manutenção do peso perdido. Onutricionista é um grande parceiro nas negociações, facilitador do caminho e não deve ser visto como policial ou alguém que irá julgá-lo. É fundamental controlar a qualidade dos alimentos e o tamanho das porções.

O controle de peso é crônico, precisamos reduzir a nossa ansiedade, sair do sedentarismo, aumentar a variedade de grupos alimentares ingeridos, reduzir a ingestão de alimentos com altadensidade calórica e procurar outros prazeres além da comida. Portanto, é preciso mudar o estilo de vida, se retomar o comportamento alimentar e o estilo de vida anterior o reganho de peso é certo.

Matéria publicada pelo site Eu Atleta

Enviar comentário

voltar para Dicas

center|center normalcase|normalcase b05s bsd||c05|image-wrap|news login b01 c05 bsd|b01 c05 bsd|b01 c05 bsd|login news b01 c05 normalcase bsd|c05|b01 c05 normalcase bsd|content-inner||