Nutrição e Hipertrofia Muscular

 

Ao longo de 20 anos a nutrição esportiva vem recebendo crescente atenção de atletas, técnicos e pesquisadores, pois já está bem estabelecido que a alimentação e suplementação alimentar interfiram diretamente no desempenho esportivo. Dentre os benefícios da nutrição temos a participação da síntese de novos tecidos, especialmente de massa muscular, conhecido como hipertrofia muscular, objetivo comum da maioria dos praticantes do treinamento de força.

O processo de hipertrofia consiste na “destruição” das fibras específicas para a produção de força (Tipo II/ brancas) com a sobrecarga imposta pelo treinamento, sinalizando geneticamente a necessidade de produzir mais proteínas musculares, gerando assim uma célula muscular com uma área seccional de maior diâmetro. O uso de suplementos nutricionais para auxiliar no processo de hipertrofia é bem estudado na literatura e demonstra que quando bem prescritos e ajustados a necessidade individual, podem participar de forma efetiva da síntese proteica muscular.

Didaticamente podemos separar os suplementos nutricionais por ação bioquímica como, por exemplo, a creatina e a beta-alanina, que são componentes nitrogenados que possuem efeitos ergogênicos diretamente ligados a intensidade dos treinamentos, pois participam da bioenergética da contração muscular gerando assim uma maior sinalização para os mecanismos da hipertrofia, porem não são esses que serão usados para “construir” uma célula muscular maior. Neste ponto existe a necessidade de nutrientes oferecidos pela dieta, principalmente aminoácidos essenciais provenientes de proteínas ou suplementos proteicos, que serão usados como blocos formadores de novas proteínas contráteis.

Porém, pensar em consumir excessivas quantidades de proteínas e suplementos proteicos sem o ajuste de um nutricionista esportivo não gera o efeito hipertrófico esperado, pois o balanço calórico deve ser adequado, já que sem energia proveniente principalmente dos carboidratos e lipídios essenciais temos uma “crise energética” que limita a construção das proteínas musculares. Temos ainda uma série de ajustes nutricionais com relação às vitaminas e minerais que também participam de forma intima em todo o processo de síntese proteica.

Esse artigo foi escrito por Felipe F. Donatto e publicado no site www.fitnessbrasil.com.br

"Eu considero o artigo muito esclarecedor e resolvi publica-lo esta semana. Minhas considerações sobre a nutrição e a hipertrofia seguem abaixo: Para ter um resultado ótimo no seu treino, sendo o objetivo hipertrofia ou emagrecimento, saúde ou estética... tem que se ter acompanhamento alimentar e para treinar.

Os profissionais que devem fazer isso são o Nutricionista e o Professor de Educação Física. Importantíssimo lembrar que, pessoas saudáveis que treinam 1 hora por dia, todos os dias da semana, não precisam de suplementação. A penas precisam alimentar-se corretamente. A reeducação alimentar orientada pelo nutricionista é a melhor forma de se fazer isso!

A suplementação só é necessária quando a pessoa treina mais que uma hora por dia. Portanto, vale a pena ter o acompanhamento nutricional e é essencial ter o acompanhamento do profissional de educação física, que é quem sabe quais exercícios devem ser feitos, como e quando!"

 

Enviar comentário

voltar para Dicas

center|center normalcase|normalcase b05s bsd||c05|image-wrap|news login b01 c05 bsd|b01 c05 bsd|b01 c05 bsd|login news b01 c05 normalcase bsd|c05|b01 c05 normalcase bsd|content-inner||